José Humberto Andrade Sobral – ACIESP

Membros & Equipe

José Humberto Andrade Sobral

Data de Nascimento:

15/11/1943

Ano de Posse:

2012

Compartilhe este perfil:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Pesquisar por nome

Engenheiro Eletrônico pela Escola Nacional de Engenharia (1966), atual UFRJ, mestrado em Ciências Espaciais pelo INPE-Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1969) e Doutorado (PhD) em Electrical Engineering – Cornell University (1973) com um “Research Assistantship” oferecido pessoalmente pelo Prof. Carl Sagan da Universidade de Cornell. Pesquisador em Física Espacial do INPE desde 1967, em cuja instituição foi um dos pesquisadores pioneiros no campo da Física Espacial. Foi Coordenador-Geral da Área de Ciências Espaciais e Atmosféricas do INPE de 1992 a 1999, possui mais de 160 trabalhos científicos publicados em revistas especializadas internacionais com revisão editorial de alto nível. É Professor do curso de Mestrado e Doutorado do INPE em Geofísica Espacial. Desde o ano de 1973 é frequente revisor de diversos periódicos internacionais do mais alto nível. Na década de 1970, utilizando fotômetros de varredura da linha vermelha (raia 630 nm) do oxigênio atômico, detectou e identificou pela primeira vez sobre território brasileiro a ocorrência das bolhas ionosféricas (rarefações do plasma ionosférico), o que lhe rendeu, como primeiro autor, no ano de 1980 duas publicações pioneiras e mais uma no ano seguinte.Tais bolhas são o fenômeno natural mais drástico da ionosfera da região tropical. Esses trabalhos, foram os primeiros trabalhos no Brasil e no mundo sobre a ocorrência das bolhas ionosféricas sobre o território brasileiro. O sistema fotométrico que possibilitou a detecção das bolhas ionosféricas foi totalmente projetado e construído no INPE em meados dos anos 1970, coordenado por este autor com a participação dos seus pares Drs, B. R. Clemesha, H. Takahashi, M. A. Abdu e C. J. Zamlutti. No final da década de 1980, identificou pela primeira vez no Brasil, as bolhas ionosféricas como causa de fortes interferências/interrupções durante a noite nas telecomunicações trans-ionosféricas, sobre todo o território brasileiro. As bolhas ionosféricas acontecem sobre todo o território brasileiro. Vários casos dessas interferências já foram registrados por Operadoras de telecomunicações no Brasil. Essas bolhas ocorrem principalmente de outubro a março e sempre á noite. Desde a descoberta das bolhas, mais de 400 trabalhos científicos (papers) sobre esse fenômeno foram publicados por pesquisadores do INPE em periódicos internacionais. Participou de diversas campanhas de experimentos ionosféricos por foguetes, nacionais e estrangeiros, levados a cabo tanto no Brasil como nos Estados Unidos (Bases de lançamento de foguetes da Barreira do Inferno, Alcântara e Wallops Islands na Virgínia, respectivamente) para a pesquisa dessas bolhas. Esses foguetes passaram pela primeira vez dentro das bolhas e mediram campos elétricos e densidade eletrônica, utilizando cargas úteis totalmente construídas no INPE. Este autor recebeu do Editor-Chefe do periódico Advances in Space Research/ COSPAR- Committee on Space Research, título de um dos dez melhores revisores do ano de 2013. Em 2014 recebeu o Certificado de Excelência em Revisão (Certificate of Excellence in Reviewing) do periódico “Journal of Atmospheric and Solar-Terrestrial Physics. É Membro Titular, eleito por unanimidade, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo – ACIESP. Membro do Conselho Diretor da ACIESP. Tem dezenas de orientações de Mestrado e Doutorado e Iniciação Científica concluídas. Pesquisador Nível 1A do CNPq desde 1995. Membro do CA, e Coordenador do CA do CNPq mais de uma vez. Consultor Ad-Hoc do CNPq, FAPESP, NASA (EEUU) etc. Detém prêmios ( MARC/NSF-EEUU e Noche de Logros da Universidade de Porto Rico) e diversas honrarias científicas. Prêmio CAPES (2016) por coorientação. Indicado (2018) Pesquisador Emérito do Observatório de Arecibo em Porto Rico/EEUU (National Astronomy and Ionosphere Center-NAIC). Detém Score mais alto que 95% dos membros do Research Gate em 9/4/2019, de acordo com o próprio RG. Atual campo de atuação científica: Geociências,/Plasmas Espaciais.