Carlos Alfredo Joly – ACIESP

Membros & Equipe

Carlos Alfredo Joly

Data de Nascimento:

10/01/1955

Ano de Posse:

Compartilhe este perfil:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Pesquisar por nome

Possui graduação em Ciências Biológicas pela USP (1976), mestrado em Biologia Vegetal pela UNICAMP (1979), PhD em Ecofisiologia Vegetal pelo Botany Department – University of St. Andrews, Escócia/GB (1982), Pós-Doc pela Universität Bern, Suíça (1994). Atua nas áreas de Ecofisiologia Vegetal e Conservação da Biodiversidade, tendo publicado 112 trabalhos em periódicos especializados, além de formar 26 mestres e 15 doutores. Editou 12 livros, com destaque para a série Biodiversidade do Estado de São Paulo: síntese do conhecimento ao final do século XX, o atlas Inventário florestal da vegetação nativa do Estado de São Paulo e o livro Diretrizes para a Conservação e Restauração da Biodiversidade do Estado de São Paulo.Atualmente é Professor Emérito da UNICAMP, aposentado do Departamento de Biologia Vegetal do IB/UNICAMP, Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, da Task Force in Capacity Building do IPBES, do Science-Policy Advisory Committee (SPAC) do Inter-American Institute for Global Change Research (IAI), chair da Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos/BPBES, e Editor Chefe da Biota Neotropica. Na UNICAMP foi Coordenador de 3 Programas de Pós-Graduação (Ecologia, Biologia Vegetal e Ambiente e Sociedade), Chefe do Departamento de Biologia Vegetal (87/89 e 06/10) e Pró-Reitor de Pós-Graduação (96/98). Na Secretaria de Estado do Meio Ambiente foi Coordenador de Informações Técnicas, Documentação e Pesquisa Ambiental/CINP (95) e no Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação foi Diretor do Departamento de Políticas e Programas Temáticos/DEPPT (11/12). Na Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES) foi Co-Chair do Painel Multidisciplinar de Experts (MEP). Em 1999, como Coordenador do Programa BIOTA/FAPESP, ganhou o Prêmio Henry Ford de Iniciativa do Ano na Área de Conservação. Em agosto de 2002 foi agraciado com a Ordem do Mérito Científico, classe comendador, em 2005 ganhou o Prêmio Ambiental von Martius da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, em 2007 recebeu a Menção Honrosa do Prêmio Jovem Cientista do CNPq. Em 2009, como Coordenador do Programa BIOTA/FAPESP, ganhou novamente o Prêmio Henry Ford, desta vez na categoria Ciência e Formação de Recursos Humanos. Em 2012 recebeu o Prêmio Muriqui da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, em 2014 a Medalha João Pedro Cardoso do Governo do Estado de São Paulo, o Prêmio de Reconhecimento Acadêmico Zeferino Vaz da UNICAMP, o Prêmio Fundação Conrado Wessel de Ciências 2022, e em 2023 foi agraciado com a Ordem do Mérito Científico, classe Grã-Cruz.